Helena, a luz do arco-íris
junho 4, 2017
Mãe culpada
Como lidar com a culpa da maternidade
junho 24, 2017

Cecília, o canto da esperança

Cecília, o canto da esperança
5 (100%) 1 vote

Conta a lenda que na antiguidade havia uma guerreira chamada Cecília que surpreendia a todos pela sua força. Mesmo pequenina, Cecília não tinha limites para o seu poder. Sempre que era desafiada mostrava que tinha ainda mais poderes para enfrentar a luta apresentada a ela. A garotinha contrastava garra e doçura, representada pelos laços coloridos que gostava de usar nos cabelos loiros.

Cecília vivia isolada em uma região distante. Enfrentava sozinha os perigos da floresta quando eles apareciam. Tinha os olhos apertadinhos, por isso, nem sempre conseguia enxergar muito à distância. Para se guiar e se proteger no meio da mata, sentia os cheiros espalhados por cada canto e se comunicava com os animais que ali viviam por meio de sons.

Não havia nada que despertasse mais as emoções de Cecília do que os sons da floresta. Admirava o canto dos pássaros e o barulho do vento. Sentia-se plena e em paz toda vez que chovia. O pequeno ruído da água caindo das folhas lhe tranquilizava e fazia adormecer rapidamente.

Vivia sossegada naquele lugar até ser surpreendida em um dia pela manhã. Até hoje, não sabe dizer o que aconteceu naquela sexta-feira. O fato é que tudo aquilo iria mudar o seu destino para sempre.

Cecília acordou com uma forte luz batendo no seu rosto. Tentou forçar a visão para identificar o que estava acontecendo, mas só conseguiu identificar borrões coloridos à sua frente. O som da floresta já não era tranquilizante. Sabia identificar que os animais estavam com medo e começavam a fugir dali. Por isso, reuniu alguns itens e uma pequena bolsa e saiu pela mata para fugir daquele lugar o quanto antes.

Estava com medo por não saber o que estava acontecendo. Chorou algumas vezes, mas silenciou a insegurança para ouvir o barulho da mata e se orientar. De repente, começou a ouvir a voz de um homem cantando para ela. A música doce, tranquilizava o seu coração e fazia com que ela seguisse em frente, na direção oposta da luz. Ouvia também a voz de uma mulher que lhe dizia que estava lhe esperando muito e que ela seria muito bem-vinda no seu lar.

Nem o desconhecimento e a pouca visão daquela luz foram capaz de deter Cecília. A guerreira superou todos os obstáculos daquele dia guiada pela voz do casal. Estava quase adormecendo de cansaço quando viu um arco-íris se formar à sua frente. Espremeu os olhinhos mais uma vez até perceber que estava no colo do casal que havia lhe guiado até ali. Podia ter certeza que era eles pelo som mágico que chegava até seus ouvidos. Foi a primeira vez que a menina ouviu o mais puro som da vida. “Nós te amamos, Cecília” – disseram juntos Mariana e Júnior.

Quando os pais olham para a filha têm certeza que ela tem um dom especial. Cecília tem a garra de outras vidas. Ela os ensinou a serem fortes, pacientes, doces e seguros. Juntos, eles aprenderam que é importante enfrentar cada batalha, vivendo um dia de cada vez. Nem sempre os dias são cheios de cor, mas é possível se guiar pela fé a cada novo dia. Cecília herdou a determinação de uma guerreira coroada com a serenidade de uma criança. É o canto da esperança a cada manhã. É vida que pulsa através do amor incondicional.

 

 

Pinguinzinho
Pinguinzinho
Editora de livros infantis personalizados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *